QUERO FALAR COM CONSULTOR

Brasileiro já gasta 7% em delivery de comida

Conteúdo Portal TNH 1- Há dez anos era impensável pegar o celular e pedir comida às 2h da manhã e receber um pote de sorvete artesanal em casa.

Também era preciso baixar músicas no computador para depois passar para o tocador de MP3. Para ver filmes em casa, as opções eram a grade fechada dos canais por assinatura ou ir a uma locadora.

As facilidades que os aplicativos de transporte como Uber, 99 e Cabify, de delivery de refeições, como Ifood e Uber Eats e os streaming de filmes (Netflix e Globo Play) e música (Spotify e Deezer) trouxeram vieram para facilitar a vida das pessoas.

O problema é que, da mesma forma que é fácil pedir, também é fácil pagar – inclusive, você nem precisa colocar a senha. Com isso, os gastos com esses novos serviços digitais já representam uma boa parcela do orçamento.

Segundo levantamento do aplicativo de gestão pessoal e serviços financeiros Guiabolso, quem contrata os quatro serviços pode estar gastando, em média, 22% do orçamento só com isso.

Gastos por categoria em julho de 2019

Categoria Percentual médio da renda gasto com o item Gasto médio por usuário com o item
Apps de transporte 9,3% R$ 156,34
Apps para pedir comida 7,16% R$ 126,31
Streamings de música 1,97% R$ 20,95
Streamings de filme 3,39% R$ 37,41
Total 21,82% R$ 341,00

Categorias

Os aplicativos de transporte representaram, em julho, 9,3% dos gastos totais dos 215.667 usuários analisados. Em média, foram gastos com isso R$ 156,34 no mês. Aplicativos avaliados: Uber, Cabify, 99 Taxi.

Aplicativos para pedir transporte

Mês Quantos usuários gastam com o item Gasto médio com a categoria Percentual médio da renda gasto com a categoria
Março 32,7% R$149,06 9,05%
Abril 34,4% R$150,09 8,67%
Maio 37,3% R$152,88 9,5%
Junho 30,9% R$155,94 9,0%
Julho 32,4% R$156,34 9,3%

Fonte: guiabolso

Já quem gosta de pedir comida por aplicativos de delivery despende, em média, R$ 126,31 com isso, o que significa 7,2% do orçamento.

Aplicativos para pedir comida

Mês Quantos usuários gastam com o item Gasto médio com a categoria Percentual médio da renda gasto com a categoria
Março 15,9% R$123,85 6,08%
Abril 17,7% R$118,60 6,08%
Maio 20,3% R$125,47 8,08%
Junho 15,3% R$125,81 7,13%
Julho 16,6% R$126,31 7,16%

Fonte: Guiabolso

Os stremings são gastos menores, mas recorrentes. Além disso, o valor médio tem aumentando, o que mostra que ou as pessoas estão contratando planos mais caros (como o familiar) ou as empresas estão reajustando os valores.

Streaming de música

Mês Quantos usuários gastam com o item Gasto médio com a categoria Percentual médio da renda gasto com a categoria
Março 13,7% R$21,34 1,71%
Abril 14,0% R$20,67 2,15%
Maio 15,5% R$20,60 1,69%
Junho 13,5% R$20,31 2,02%
Julho 14,2% R$20,95 1,97%

Em março deste ano, o Netflix, por exemplo, aumentou o preço do seu serviço no Brasil. O plano básico, que custava R$ 19,90 passou a custar R$ 21,90.

O premium, que dá direito a quatro telas simultâneas e ultra HD, saltou de R$ 37,90 para R$ 45,90.

Streaming de filme

Mês Quantos usuários gastam com o item Gasto médio com a categoria Percentual médio da renda gasto com a categoria
Março 18,2% R$33,03 3,13%
Abril 23,7% R$32,48 2,56%
Maio 25,3% R$36,30 2,97%
Junho 20,7% R$37,13 3,18%
Julho 22,3% R$37,41 3,39%

“Para não se perder na conta, é interessante estabelecer um limite todos os meses de quanto pode gastar com cada serviço”, aconselha Duram.

Para a pesquisa foram analisadas as contas de 215.667 usuários do serviço de gestão financeira automática do Guiabolso. Nem todos possuem todos ou algum dos serviços.

iFood chega a 20 milhões de pedidos por mês