Como faço para gerar a segunda via de um Cupom Fiscal Eletrônico

Segunda via do Cupom Fiscal Eletrônico

Caso você não esteja encontrando o Cupom Fiscal Eletrônico, mas precisa dele para comprovar a garantia de um produto, saiba que é possível tirar a segunda via.

Se a mercadoria adquirida tenha apresentado algum defeito e esteja dentro da garantia, você pode ir até a assistência técnica. 

Mas para isso é preciso estar com a nota fiscal em mãos. Então, veja como recuperá-la e não sair no prejuízo.

Talvez, se ocorrer algum defeito no item, esse procedimento de apresentação da nota é necessário para comprovação da data de compra do seu produto.

Cupom Fiscal Eletrônico

Essa versão eletrônica do documento surgiu para entrar no lugar do cupom de papel, que é comum ser entregue nos estabelecimentos a partir de uma compra.

Entretanto, ele continua com a mesma função, que é a de comprovação da venda de algo, tanto para clientes, quanto para varejistas.

O Cupom Fiscal Eletrônico serve também para o Fisco. É uma forma de o empresário comprovar o valor dos seus impostos. Ou seja, tem um fim de recolhimento fiscal.

Como emitir a segunda via do Cupom Fiscal Eletrônico?  

Caso tenha que solicitar o direito de garantia de algum produto, você deve apresentar a nota fiscal do produto.

Mas se não souber mais onde ele está, tem direito a segunda via. Basta que você a solicite no estabelecimento onde foi realizada a compra.

Esta nova emissão deve ter os mesmos dados que foram inseridos na primeira emissão. Então devem ser colocadas informações, como:

  • Marca
  • Tipo
  • Modelo
  • Espécie
  • Quantidade do produto

Também é importante que sejam colocadas os dados da empresa que realizou a venda ou prestou o serviço:

  • CNPJ
  • Endereço
  • Telefone

Segunda via Cupom Fiscal Eletrônico

Não está previsto em lei que o estabelecimento deve emitir esta segunda via. Mas isso não configura nenhum tipo de prejuízo a empresa.

Portanto é uma maneira de manter um bom relacionamento com seu cliente. Além disso, a empresa que emitir a segunda via, não poderá cobrar por ela.

O consumidor pode fazer o pedido de outra via do cupom fiscal em até cinco anos, que é o tempo máximo que uma empresa deve arquivar suas notas fiscais.

Mas, se mesmo assim o estabelecimento se negar a enviar a segunda via desse documento, você pode solicitar a Secretaria da Fazenda do Estado.

Esse órgão estadual também é o local para onde são enviadas todas as informações de todos os cupons emitidos.

Por quanto tempo devo guardar o Cupom Fiscal Eletrônico?

É importante que você guarde o CFe dos produtos que adquire por todo o tempo da garantia. Mas, se for possível, guarde-o pelo tempo que utilizar o produto.

Caso não consiga a segunda via, a assistência técnica do estabelecimento onde foi feita a compra, mesmo assim, não pode se recusar a fazer a conserto do seu produto.

Isso acontece, pois o fabricante tem outras formas de verificar o produto, como a procedência.

Esse procedimento pode ser realizado a partir do número de série do produto e do seu código de barra, que é impressa na embalagem do produto.

O fornecedor só está isento de fazer a assistência, caso identifique nesses procedimentos que o produto não foi produzido por ele.

Quais são as vantagens do Cupom Fiscal Eletrônico?

Fazer a utilização deste documento fiscal no seu estabelecimento pode trazer muitas vantagens, como:

Economia: fazendo a emissão eletrônica, você economiza com o consumo de papel. A única coisa que você terá que entregar ao cliente é o extrato da venda, que vem com a chave que dará acesso ao cupom eletrônico.

Agilidade: finalizar as vendas ficou mais rápido e fácil. As filas que se formam no caixa do estabelecimento serão reduzidas, pois fazer a emissão do extrato é mais rápido.

Diminuição dos erros: com a emissão eletrônica, erros como alteração de informações por causa da digitação, diminuirão.

E caso ocorra algum erro, é mais fácil fazer a correção quando o processo é online.

Outras funcionalidades do Cupom Fiscal Eletrônico

A emissão desse documento é obrigatória a todos os estabelecimento que tenham uma receita bruta anual superior a 120 mil reais (o valor pode variar de acordo com cada Estado).

O fornecimento ao cliente deve ser realizada independente do valor final da compra ou do número de produtos adquiridos.

A emissão dos cupons no ato da compra tem por objetivo também, além de legitimar trocas de mercadorias e assistência técnica, em caso de defeito, evitar sonegação fiscal.

Além disso, com a obrigatoriedade do fornecimento da nota, há outras vantagens e funções, como geração de emprego, arrecadação de impostos e combate a sonegação fiscal.

Dessa forma, a fiscalização por parte do Fisco sobre os estabelecimentos fica mais fácil.

Consumidores e Cupom Fiscal

O consumidor exigindo a emissão deste, terá noção do valor que paga de juros em cada produto, pois a informação vem discriminada.

E também saberá os valores dos tributos, como ICMS, PIS e COFINS, que incide sobre cada produto que comprou.

 

Conheça o sistema ideal para o seu restaurante