QUERO FALAR COM CONSULTOR

Como fazer a defis?

Como fazer a DEFIS?

Para fazer a Defis é preciso acessar o site da Receita Federal ou algum tipo de software contábil.

Nesse sentido, por ser uma Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais, é preciso preenchê-lo corretamente e todas as informações.  

Por isso, todo o  tipo de erro pode ocasionar em punições ou possíveis custos extras, então certifique-se de entregá-la com tudo certo.

Um dos cuidados mais importantes no processo é em relação aos rendimentos dos sócios da empresa.

Todo os eles devem ser separados do pró-labore. Não deixe todos eles juntos nunca!

Além disso, os lucros do negócio também merecem atenção na hora de fazer a declaração, isso porque, no Brasil, eles são livres de impostos.

O preenchimento do formulário funciona de modo bem simples e deve ser feito de maneira inteligente e organizada, de preferência por softwares de gerenciamento financeiro.

Sendo assim, para fazer a Defis é preciso fazer o seguinte passo a passo:

  • Acessar o site da Receita Federal;
  • Preencher todas as informações de maneira correta;
  • Manter todos os dados organizados;
  • Usar pró-labore para o rendimento dos sócios;
  • Ter um software de gerenciamento financeiro.

O que é a Defis?

A Defis é um documento que serve para deixar mais fácil as declarações de empresas de pequeno porte.

A função dele é tornar as obrigações mais simples, em especial para quem trabalha com regimes de Lucro Real e Presumido, que é seu foco principal.

Este tipo de Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais é uma substituta da declaração de imposto de renda.

Isso acontece por conta dos diversos campos relacionados receito e também ao volume de movimento financeiro gerado pela pessoa jurídica.  

Também vale ressaltar a questão sobre os limites de receita dos estabelecimentos.

Quem acabar ultrapassando o teto do Simples Nacional, deve mudar o seu regime tributário para o modelo de Lucro Presumido ou Lucro Real.

Quais informações devem ser apresentadas no DEFIS?

Quem for preencher a Defis vai que existem muitas informações para serem descritas e todas elas são a respeito da situação econômica da empresa.

De toda a forma, qualquer erro pode ser fatal e causar problemas para o local. Não cometa esse deslise e confira quais são os dados necessário para compôr a Defis:

  • Estoque inicial e final do período abrangido pela declaração;
  • Ganhos financeiros da empresa;
  • Número de colaboradores no início e no final do período que diz respeito a DEFIS;
  • Saldo em caixa e em banco no início e no final do período;
  • Total de aquisições, transferências e saída de mercadorias;
  • Total de gastos do período, incluindo as despesas operacionais (aquelas necessárias à manutenção da empresa), não operacionais (transações distintas da atividade da empresa), custos, salários etc.

Além desses dados, ainda é preciso constar a identificação dos sócios e dos rendimentos dos mesmo, incluindo:

  • Nome e CPF de cada um deles;
  • Dividendos (rendimentos da empresa pagos ao sócio);
  • Pró-labore (rendimentos do sócio que também trabalha na empresa);
  • Porcentagem pertencente a cada sócio registrado até o último dia do período;
  • Imposto de renda retido na fonte dos rendimentos pagos ao sócio.

Já em relação a empresa, você também vai precisar declarar dados como:

  • Autos de infração pagos ou com decisão administrativa;
  • Mudança do endereço da empresa, se tiver ocorrido mudanças;
  • Informações sobre prestação de serviços de transporte de carga interestadual;
  • Prestação de serviços de comunicação.

Diferença entre Defis e DAS

Quando se fala na parte burocrática de empresas e tributação, é bem comum que existam dúvidas e até confusões.

Inclusive, uma delas é em relação ao Defis e o DAS, que têm atuações diferentes. Então, tome cuidado para não confundir as nomenclaturas.

Confira agora a diferente entre ambas e acabe com as dúvidas!

Defis

Com foco nas Microempresas (ME) e Empresas que Pequeno Porte (EPP), o Defis, ou Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais, é um registro entregue ao Fisco.

Ele nada mais é do que um serviço que atua conforme o regime de tributação do Simples Nacional, que é o mais usado no Brasil.

Esse procedimento começou a ser usado em 2012, com a vigência da Resolução 94/2011 do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN).

A ferramenta opera em todas as empresas que atuam como Simples Nacional, até mesmo as que já estão inativas, que não obtiveram faturamento ou mudanças estruturais.

A função de maior destaque dele é passar as informações direto para a Receita Federal sobre os dados econômicos e a regularidade fiscal da companhia.  

Dentro disso, existe uma norma que impõe que as organizações precisam entregar o DEFIS a partir do “Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (PGDAS-D)”.

Ele está disponível no site oficial da Receita Federal e, mesmo que os estabelecimento que saíram do ano-calendário referente ao período da declaração ainda devem realizá-l.

DAS

Já o DAS funciona de uma maneira um pouco diferente. O Documento de Arrecadação do Simples Nacional é responsável por unificar o recolhimento de impostos.

Com ele, todas essas informações são repassadas de forma automática para as contas da União, estado e município.

Mesmo que tudo seja automatizado, é importante saber quais são os impostos unificados. Confira:

  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Todo o tipo de empresa deve fazer o pagamento dos tributos de maneira correta, em especial as que estão operando como Simples.  

E, quem for uma ME (Micro Empresa) ou EPP (Empresa de Pequeno Porte) e pertencer ao SM, o DAS considera o valor das notas fiscais que foram emitidas no mês.

Já no caso do MEI, é possível que tenha um variação em relação a guia conforme o setor de atuação da companhia.

É muito comum que isso aconteça com quem atua na área de Comércio, Indústria ou Serviço. Veja:

  • Comércio e Serviço: R$53,70;
  • Comércio e Indústria: R$48,70;
  • Serviço: R$52,70.

Lembrando que o MEI só precisa pagar o DAS mensalmente, independente do resultado do seu faturamento.

Prazo da DEFIS 2019 e o Simples Nacional

Prazo final para a entrega do Defis 2019, relativo ao calendário de 2018, foi no dia 31 de março.

Todas as Micro Empresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), optantes pelo Simples Nacional, precisavam ter entregue o relatório.

A DEFIS deve ser facilmente  preenchida e transmitida via internet, pela aplicação disponível no Portal do Simples Nacional.

Quem acabou atrasando a entrega precisa arcar com uma multa de 2% no mês- calendário ou fração sobre o montante dos tributos.

Caso esse atraso se prolongue, digamos que por vários meses, o valor pode chegar até 20%.

Sem contar que mais R$100 devem ser pagos por cada grupo de informações incorretas. Ou seja, mais um motivo para ficar esperto com os prazos!

Como tornar meu Restaurante mais Eficiente