Entenda tudo de CMV! Porcentagem, DRE e cálculo 

Como calcular o CMV em porcentagem?

Existem algumas maneiras de calcular o Custo de Mercadorias Vendidas e uma delas é fazendo o cálculo do CMV em porcentagem.

Portanto, para você usar utilizar o método de percentual de faturamento, é preciso descobrir o índice médio de custos sobre o valor total.

Depois disso, basta usar o resultado sobre todos os itens vendidos. 

Com isso descoberto, pegue o valor de custo fixo da sua empresa e divida pelo seu faturamento. O resultado, multiplique por 100.

Com essas etapas feitas da maneira correta, você encontrará o percentual do Custo de Mercadorias Vendidas. Veja um exemplo abaixo:

CMV= Custo financeiro x 100

_________________

Preço de venda

Vamos ter como base uma empresa que tem um custo financeiro fixo de 1.000 reais, mas recebe 12 mil reais em um mês. 

Neste pensamento, a estrutura da conta fica da seguinte forma:

1000×100

CMV= _________ = 8,3%

12000

Se o cálculo for feito da maneira correta, você obterá um Custo de Mercadorias Vendidas em uma porcentagem de 8,3%.

Como calcular o valor do CMV?

Muitas empresas acabam produzindo além do necessário com o intuito de gerar lucro. Entretanto, isso pode acabar dando prejuízo.

Para que isso não aconteça, é importante que a empresa tenha uma planilha para o cálculo do CMV.

Ao falar em prejuízo, nos referimos aos produtos que ficaram presos no estoque da empresa.

Essas vendas, que não foram realizadas, além de ocupar espaço podem trazer impactos nos valores do seu negócio.

Para evitar esse resultado, veja como fazer o cálculo do Custo de Mercadoria Vendida.

Mas esta não é a única maneira de fazer o cálculo CMV. Existem outras e você deve conhecê-las.

Cálculo

Antes de apresentar o cálculo, vamos a alguns exemplos:

Supondo que sua empresa produziu 100 potes de maionese, com validade de 3 meses. Cada pote de maionese é vendido por 10 reais.

Sendo assim, seu negócio terá uma margem de lucro de 70%. No fim dos 3 meses, 20 latas foram devolvidas, pois excederam a data de validade.

Esse cálculo mostra o custo da mercadoria que foi vendida, entretanto respeite os produtos que ficaram no estoque.

No exemplo que utilizamos, teríamos os 60 reais de despesa, que considera os custos da produção, e 140 reais, de margem de lucro, do que não foi vendido.

Mercadoria

Nesse exemplo, a despesa com a mercadoria devolvida pode reduzir até 6% da sua contribuição. 

Além disso, poderia reduzir também até 20% do potencial de vendas.

Por isso, é necessário que se saiba calcular o Custo de Mercadorias Vendidas. E, para realizar o cálculo, é necessário saber qual o tipo de inventário será utilizado.

São dois tipos de inventários, vamos saber quais são eles.

Inventários

  • Inventário permanente: controla instantaneamente as entradas e saídas dos produtos da sua empresa.
  • Inventário periódico: realiza a contagem do estoque periodicamente, conforme a necessidade

A partir desses inventários, o cálculo do CMV pode ser realizado a partir de duas unidades de medidas, são elas:

  • Saldo monetário: utilizado em valores, pode servir para fazer avaliações financeiras. Pode realizar analisar os ativos do seu negócio, em relação ao estoque.
  • Mercadoria: serve para realizar o balanço do estoque.

Periódico

Vamos a fórmula para calcular o Custo de Mercadoria Vendida, quando utilizamos a unidade de medida “mercadoria”, no inventário periódico:

CMV = EI + C – EF.

O CMV é igual à equação do estoque inicial (EI), mais compras (C) e menos estoque final(EF).

Agora, basta que você substitua por números e realize a operação para obter o resultado.

Permanente

Como neste caso, a atualização do estoque é instantânea, será inserida duas variáveis a mais na fórmula. São elas:

  • Devoluções de venda: registra as mercadorias que retornam ao estoque a partir da logística reversa.
  • Devoluções de compra: são produtos devolvidos ao fornecedor. Portanto, os produtos saem do estoque.

CMV = EI + C + DV – DC – EF

Sendo assim, o CMV é igual à equação do estoque inicial (EI), compras (C), devoluções de compras (DC), menos devoluções de vendas (DV) e menos estoque final (EF).

O que é calcular o CMV no DRE?

Vamos entender como é feito o cálculo do CMV na  Demonstração de Resultados do Exercício.

O Custo de Mercadoria Vendida é muito útil para comerciantes. Ele tem a função de calcular o preço dos produtos que forem vendidos.

Contudo, não apenas no valor pago por eles, mas também com a inclusão dos insumos que estão no estoque.

Isso, porque o acervo faz parte do que chamamos de patrimônio da empresa. Então deve ser contabilizado.

Mercadorias guardadas tiveram alguma despesas para a sua empresa, portanto tem potencial para serem comercializadas.

Além disso, encalhadas elas ocupam um espaço que poderia ser apropriado por outros produtos.

 

Porque calcular o CMV no DRE?

Calcular o CMV no DRE dá a oportunidade ao empresário de descobrir o lucro bruto de uma operação comercial.

Fique atento para que não haja confusão entre o valor bruto e a receita da venda. São duas representações diferentes sobre a questão financeira da transação.

Além disso, há também o lucro líquido. Portanto fique alerta e saiba separar esses três fatores.

E neste cálculo é apenas o valor da mercadoria. Não some a conta os impostos, despesas operacionais, administrativas ou qualquer tipo de comissão.

Em resumo, realizar esta apuração mostrará ao estabelecimento quanto, em proporção, foi gasto para a venda de um produto.

Inserir nesta contagem os itens que ficaram no encalhe é necessário para identificar o quanto de despesa se teve ao adquiri-los e quanto se ganhou com a venda dos que saíram.

O que é o DRE?

A Demonstração de Resultados do Exercício é um documento que engloba as informações das receitas e das despesas de um estabelecimento.

Tudo isso dentro de um período de tempo pré-selecionado.

Nele, para descobrir os resultados, diminui-se da receita as despesas. Dessa forma, você saberá se o resultado será lucro ou prejuízo.

Como calcular o CMV no DRE?

Para calcular o CMV no DRE , deve-se considerar todo o estoque de um determinado período. Ou seja, quantas mercadorias tinham no início e quantas restaram o fim.

Além disso, leva-se em conta também a despesa com as aquisições e as receitas a partir das vendas.

Pode-se levar em conta também as devoluções de clientes e da própria empresa para o seu fornecedor.

Então, dessa forma, confira o cálculo abaixo:

CMV = EI + C – EF

CMV = Custo da Mercadoria Vendida
EI = Estoque Inicial
C = Período analisado
EF = Estoque final

Se houver devolução de itens, será necessário utilizar outra fórmula, confira:

CMV = EI + C + DC – DV – EF

CMV = Custo da Mercadoria Vendida
EI = Estoque Inicial
C = Período analisado
DC = Devoluções de compras
DV = Devoluções de vendas
EF = Estoque final

Mas para entendermos de fato como isso acontece na prática, vamos usar um exemplo onde aplicaremos o cálculo.

  • No início de um determinado mês, uma loja tinha em seu estoque 600 reais em bermudas. (Estoque Inicial de 600 reais)
  • Dentro deste mês, o estabelecimento obtém mais 800 reais em bermudas. (Compra no período de 800 reais)
  • Dessa forma, o seu estoque, no final do mês, ficou com 350 reais em bermudas. (Estoque Final de 350 reais)

CMV = EI + C – EF
CMV = 600 + 800 – 350
CMV = 1.050

Agora desconte o resultado do lucro líquido, para que você descubra o lucro bruto das vendas.

Na Demonstração de Resultados do Período, deve constar o CMV

Por isso, é preciso fazer o cálculo do custo total de todas as mercadorias vendidas pela sua empresa.

O que é preciso ter para calcular o CMV no DRE?

O primeiro passo para calcular o CMV no DRE é preciso implantar o inventário permanente, para que suas entradas e saídas possam ser relacionadas.

Se você sentir a necessidade de analisar períodos em que o lucro já tenha sido encerrado, use o por período.

O que não serve para calcular o CMV no DRE?

Como já falamos, a fórmula é composta por alguns elementos, que são resultados das vendas da sua empresa.

Mas é preciso identificar quais são as informações que você não utiliza para realizar o cálculo.

Estas informações são de impostos que não incidem nos produtos.

  • Impostos sobre o faturamento: PIS/Cofins, IRPJ e ICMS
  • Despesas administrativas: gastos fixos com telefonia, internet e aluguel
  • Despesas operacionais, como frete
  • Despesas financeiras, como juros sobre empréstimos
  • Despesas com vendas, como comissões.

CMV: estoque 

Mas para que seu cálculo dê certo é importante que seu estoque esteja sempre em dia e organizado.

Por isso, confira algumas dicas para fazer o controle de estoque da sua empresa.

Confira entradas e saídas das mercadorias: cadastre todos os itens do estoque.

Com esse cadastro, é possível que você acompanhe a situação do produto, como data de compra, data de venda, valor que foi vendido e afins.

Confira os registros: para evitar possíveis erros, confira os registros de valores dos produtos.

Muitas empresas acham isso besteira, mas pode evitar muitos problemas.

Produtos perecíveis: quando for repor o estoque, evite prejuízos, não comprando em excesso e ele excedendo a validade.

Espaço físico: ter seu estoque físico organizado fará com que você não perca tempo.

E saiba que ter um cadastro dos seus produtos não é o suficiente. É necessário que você encontre essa mercadoria com facilidade.

Processos: ter rotinas definidas pode evitar erros no processo. Fazer atualizações constantes, também evita falhas.

Equipe proativa: ter uma equipe que seja envolvida em cada parte do processo, também faz com que o número de falhas diminua.

Atenção nas operações: se você realizar todos os processos de controle de estoque, as funções ser integrarão e isso tornará o trabalho mais fácil.

Um processo bem feito leva a boas consequências! Faça o controle de estoque e tenha seus dados sempre atualizados.

Lembre-se que operações bem feitas permitem uma integração dos produtos!

Baixe a Planilha de Controle de Estoque