QUERO FALAR COM CONSULTOR

Fluxo de caixa direto e indireto: Veja o processo!

Fluxo de caixa direto e indireto: Por que usar?

Por que usar o fluxo de caixa direto e indireto? Para fazer a contabilidade do seu negócio com ainda mais precisão! 

A partir de ambos, é possível gerar relatórios sobre a situação real do local, além identificar a sua geração de lucro com base nas atividades principais. 

Além disso, com a demonstração de fluxo de caixa direto ou indireto, é possível responder com certeza se o empreendimento está cumprindo com as obrigações legais. 

Ou seja, com este recurso, é possível saber se o pagamento de impostos está em dia, atrasado ou parcelado, por exemplo. 

Por fim, este método ainda serve para criar relatório detalhados sobre as transações que acontecem no negócio.

E você ainda pode controlá- lo por meio das famosas planilhas de Excel, assim como o seu fluxo de caixa diário, fluxo de caixa mensal ou simples, por exemplo.

Em geral, é um ótimo meio de identificar se os investimentos, financiamentos ou as partes operacionais estão realmente com algum problema ou não. 

A melhor parte de utilizar uma Demonstração de Fluxo de Caixa é aumentar o ROI da empresa, identificar falhas comprometedoras e outros problemas recorrentes. 

Gostou da explicação? Então confira abaixo um pouco mais sobre o fluxo de caixa direto e indireto:   

O que é fluxo de caixa direto? 

Antes de mais nada, você precisa saber diferenciar o fluxo de caixa direto e indireto, já que ambos têm suas características.

Começando do início, o fluxo de caixa direto é um método usado para fazer a estruturação da Demonstração de Fluxo de Caixa.

Além disso, é a atividade responsável por registrar as entradas e saídas de recursos da empresa. 

O objetivo dele é destacar, detalhadamente, os resultados brutos gerados em um determinado período. 

Vantagens do método direto

O maior benefício do método direto é conseguir fazer às análises de investimentos e chegar a Valuation do negócio. 

Sem contar que ajuda muito a identificar as contas no Balanço Patrimonial relacionadas com as de DRE e a calcular o saldo final hipotético.

Mas, infelizmente, o fluxo de caixa método direto também tem algumas desvantagens. 

Desvantagens do método direto

Em relação às desvantagens, o fluxo de caixa direto tem um custo para classificar os recebimentos e pagamento.

Além disso, ele ainda indica itens de resultados sob o regime de caixa ao invés da competência.

Isso pode sugerir que os fluxos líquidos operacionais sejam uma medição de desempenho que o resultado contábil, que é por competência.

Fluxo de caixa Método Direto: Onde deve ser usado? 

O fluxo de caixa método direto irá ajudar a classificar os pagamentos e recebimentos do seu negócio usando apenas as informações da tesouraria. 

E embora seja bem trabalhoso, ele consegue criar boas condições para que a classificação dos recebimentos e pagamentos sigam critérios técnicos e não fiscais.

Além disso, o método direto permite que a administração a partir do caixa seja feita mais rapidamente no seu negócio.

E lembre-se: neste método de apuração é necessário conter: 

  • As atividades de financeiro:
    • Financiamentos;
    • Integralização de capital;
    • Empréstimos bancários;
    • Divisão de lucros.
  • As atividades operacionais:
    • Recebimento de clientes;
    • Pagamentos de fornecedores;
    • Despesas administrativas;
    • Pagamentos ao governo
  • As atividades de investimento:
    • Compra de ativo permanente;
    • Recebimento de dividendo.

O que é fluxo de caixa indireto?

O fluxo de caixa indireto, também conhecido como método indireto, é usado para avaliar os impactos do caixa

Ele é feito a partir do lucro líquido e por isso necessita de um ajuste nas variações que afetam o caixa. 

Normalmente, a demonstração do fluxo de caixa modelo indireto é feita com base nas variações das contas do seu balanço. 

Isso acaba evidenciando nas alterações no giro do seu negócio que pode, por sua vez, aumentar ou diminuir o seu caixa. 

Vantagens do método indireto

Uma das principais vantagens do método indireto de fluxo de caixa é que apresenta um baixo custo.

Para trabalhar com ele, basta usar dois balanços patrimoniais: um do início e um do final do período.

Além dessas duas coisas, você vai precisar da demonstração de resultados e de algumas informações adicionais obtidas na contabilidade.

A demonstração direta ainda pode conciliar o lucro contábil com o fluxo de caixa operacional líquido.

Esta parte acaba mostrando como se compõe a diferença, o que torna o caixa direto uma estratégia bem vantajosa.

Desvantagens do método indireto

Uma das desvantagens do método de fluxo de caixa indireto é o tempo para gerar as informações pelo regime de competência e só depois converter em regime de caixa.

Se o método indireto for feito apenas uma vez por ano, é bem possível que você tenha surpresas bem desagradáveis.

Então, se  houver a interferência fiscal na contabilidade oficial, o fluxo indireto irá eliminar apenas uma parte disso.

Fluxo de caixa método indireto: Aplicação  

A aplicação do fluxo de caixa método indireto ocorre quando há uma conciliação entre o regime de competência com o regime de caixa. 

Ela atua desse jeito porque o DRE e o Balanço Patrimonial são os responsáveis pelas movimentações de caixa. 

Sendo assim, a análise e a aplicação dele irão partir do saldo inicial do exercício, que é obtido pela DRE.

Além disso, sempre serão excluídos os fatores que afetam o resultado indiretamente.

O fluxo de caixa direto e indireto são duas ferramentas essenciais em qualquer negócio. Dê uma chance a ambos e veja o sucesso acontecer!

Demonstração de Resultados do Exercício 

A Demonstração de Resultados do Exercício, é o meio que foca nas informações financeiras para a formação de resultado líquido.

Ou seja, a DRE irá indicar se houve lucro ou prejuízo na operação da sua empresa, loja ou restaurante.

A formação do resultado é feita através da definição das receitas, os lucros e despesas conforme o Regime de Competência de Contas.

 

 

Baixe sua Planilha de Fluxo de Caixa Diário