QUERO FALAR COM CONSULTOR

Fluxo de caixa matemática financeira: O que é?

Fluxo de caixa matemática financeira: O que é?  

O fluxo de caixa matemática financeira nada mais é do que o bom e velho controle das movimentações financeiras de uma empresa. 

Este recurso é como se fosse a sua base de dados de tudo o que gira em torno das suas operações. 

Desta forma, você consegue observar seus custos de produção, saldo entre receitas e, claro, sua lucratividade. 

Mas o fluxo de caixa financeiro não se limita em apenas isso. A partir dele, ainda é possível identificar onde estão os rombos de capital e encontrar soluções eficientes. 

Além disso, ele precisa de uma supervisão diária para que nenhum resultado passe despercebido. 

Prepare um fluxo de caixa financeiro com periodicidade (diário ou mensal), para as suas operações, investimentos e para que precisar. 

A nossa planilha de fluxo de caixa vai ajudar você na organização das suas informações financeiras de forma simples ágil e inteligente.

Mas o que é matemática financeira?

A matemática financeira é uma aplicação de métodos para a parte financeira, como o fluxo de caixa.

Esta modalidade é baseada em ferramentas de probabilidade, estatística e teoria econômica. 

Ela é mais utilizada em empresas, bancos de investimentos e agências reguladoras, por exemplo. 

Então, sempre que você precisar avaliar estruturação de carteira, gerenciamento de risco e simulação de cenário, é aconselhável que use a matemática financeira.  

Qual a importância da matemática financeira? 

A matemática financeira é fundamental para os momentos de decisões financeiras. 

Até porque é com ela, e com o fluxo de caixa matemática financeira, que você consegue identificar se é mesmo a hora de fazer um investimento. 

Sem uma análise de viabilidade não tem como saber se valerá ou não a pena. A dica é usar vários materiais de estudo e conhecer os seus números. 

Qual a importância do fluxo de caixa financeiro?

Se tratando de fluxo de caixa administração financeira, há diversos pontos que valem destacar sobre a sua importância. 

Até porquê é graças a ele que um negócio consegue se manter estável financeiramente. 

Veja abaixo algumas vantagens da implementação do controle de fluxo de caixa na sua empresa:

  • Reúne informações financeiras fundamentais para o negócio;
  • Antecipa riscos;
  • Aponta oportunidades;
  • Favorece a tomada de decisões;
  • Funciona como um indicador de desempenho;
  • Indica alternativas de investimentos;
  • Revela a origem de problemas financeiros;
  • Serve para projetar resultados futuros.

Vale lembrar que todos esses benefícios só acontecerão se você se comprometer em manter o Fluxo de Caixa em dia e atualizado. 

Mantenha o máximo de critérios de organização e, caso não saiba por onde recomeçar, é recomendado que procure por planilhas de excel.

Materiais de fluxos de caixa podem ser uma boa estratégia começar a melhorar o seu financeiro! 

Fluxo de caixa contábil (DRE): O que é?

O fluxo de caixa contábil se trata da DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), que é um relatório das operações de um negócio. 

Ou seja, é usado para identificar se a companhia está gerando lucro ou prejuízo, considerando um determinado período. 

O DRE (fluxo de caixa contábil), pode ser aplicado para qualquer tipo de fluxo de caixa matemática financeira. 

E procure não deixar de efetuar esta atividade, já que ela é feita com o seu Balanço Patrimonial e deve ser assinada por um contato habilitado pelo CRC (Conselho Regional de Contabilidade). 

O relatório só não é obrigatório para as empresas que operam como MEI. Para os demais modelos tributários é preciso fazer o relatório anualmente. 

Além do compromisso com a lei, a DRE também ajuda no sucesso administrativo e contábil da sua companhia. 

Como fazer a DRE? 

Como foi dito acima, a DRE (fluxo de caixa contábil), é um relatório financeiro, então, para construí-lo é preciso de algumas informações. 

Todos esses dados são padrão e devem conter as seguintes informações: 

Fluxo de caixa matematica financeira

Vale destacar que a estrutura é padrão, então na primeira linha sempre será apresentada a Receita Bruta de Vendas.  

É com ela que são deduzidas as devoluções de vendas, descontos comerciais, abatimentos e afins. 

E o resultado disso é chamado de Receita Líquida de Vendas, que é usada para deduzir os custos das mercadorias e de serviços vendidos. 

Com esta dedução chegamos uma outra nomenclatura: o Lucro Bruto, que são subtraídas todas as despesas operacionais, financeiras, administrativos e gerais. 

Para a próxima etapa, para chegar ao Lucro Operacional Líquido, são acrescentadas as receitas operacionais. 

A partir desse resultado, serão acrescentados os resultados não operacionais (participações de debenturistas, empregados e  administradores). 

Chega-se então ao Lucro Líquido do Exercício (LLE), objetivo final de toda DRE.

 

Fluxo de caixa: Conheça esta ferramenta!