Onde fica o ECF no cupom fiscal eletrônico?

Onde fica o ECF no cupom fiscal eletrônico?

Neste artigo iremos te ajudar a entender onde fica o ECF no cupom fiscal eletrônico e também saber um pouco sobre o assunto.

ECF ou Emissor de Cupom Fiscal, é um equipamento que realiza o controle fiscal de uma venda, que pode ser de dois tipos:

  • Uma máquina que realiza a impressão térmica em papel termossensível;
  • Uma caixa registradora.

Por isso, adquirir uma impressora térmica pode ser um pouco salgado, já que elas custam de R$1.000 à R$2.000.

Mas agora existe uma alternativa: o NFC-e. Diferente da versão comum, ele pode ser impresso em qualquer impressora com papel comum.

Portanto, fica mais fácil para o empreendedor adquirir. Essa opção também permite o envio do NFC-e por e-mail ou a leitura por QR code.

Além disso, é possível que o cupom seja enviado para o celular do cliente, tornando tudo ainda mais fácil.

Tipos de cupom fiscal

Embora haja três tipos de emissor de cupom fiscal, esses documentos possuem formas e numerações diferentes, que são:

  • Comum: o número do seu comprovante fiscal é o COO e ECF.
  • Eletrônico – SAT: o número do seu comprovante fiscal é o número do extrato e o número do SAT.
  • Nota fiscal DANFE: o número do seu comprovante fiscal é o número NFC-e e o número de série.

Então, é importante lembrar que não há ECF no cupom fiscal eletrônico.

O que é NFC-e?

O SPED, Sistema Público de Escrituração Digital, vem avançando e com ele os novos formatos de de notas fiscais foram criados.

O intuito é coibir fraude e sonegação, simplificar o sistema tributário e agilizar o repasse de dados ao Fisco.

Certamente a economia de papéis também torna a NFC-e mais sustentável.

O sistema substitui o modelo 2 de nota fiscal de venda ao consumidor e o cupom fiscal emitido por ECF no cupom fiscal eletrônico.

Vantagens do NFC-e

Separamos as vantagens que a NFC-e oferece ao seu negócio em um lista e você decide se é interessante para sua empresa.

  • Economia no investimento da impressora (usa uma comum);
  • Economia no valor gasto com papel termossensível;
  • Economia no valor gasto com papel, já que o cupom fiscal pode ser enviado por e-mail para o cliente ou que o próprio capte por QR code;
  • Não é necessário autorização prévia do equipamento;
  • Economia de espaço físico já que os documentos emitidos podem ser armazenados digitalmente;

É claro que ainda há outras vantagens, mas as mais relevantes e que podem fazê-lo escolher por esse sistema, são essas.

Contudo, é interessante frisar que a NFC-e pode ser emitida por celulares e tablets, não somente por computadores.

Assim, permitindo também  facilitando a integração entre vendas nos âmbitos físico e online.

Onde fica o ECF no cupom fiscal eletrônico?

O número do ECF não aparece do cupom fiscal eletrônico, já que não é necessário um aparelho específico para a impressão do documento.

Porém há outras opções de cupom fiscal. Elas podem ter três formas, são elas:

COO

Se sua nota fiscal comum for Contador de Ordem de Operação, você encontra tanto o número do COO quanto o ECF, presentes nela.

Na imagem seguinte o primeiro quadrado amarelo é o COO, e o segundo o ECF:

DANFE

Já se sua nota fiscal for Documento Auxiliar da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, você encontra o DANFE e o número de série. Conforme a imagem:

SAT

Se a nota fiscal oferecida pelo estabelecimento for o Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos, você encontra o número do extrato e o SAT.

Outras formas de emissão de cupons fiscais

Embora algumas pessoas não saibam, existem outras formas de emissão de cupons fiscais. Algumas são usadas em locais específicos. Entenda:

PAF ECF

O Programa Aplicativo Fiscal Emissor de Cupom Fiscal é o sistema mais antigo e o equipamento necessita homologação.

Entretanto, ele se tornou um pouco ultrapassado e os custos com implantação e aquisição dos aparelhos são meio salgados.

Em alguns Estados a PAF ainda é aceita. Um deles é SC que decidiu não aderir à NFC-e.

NFC-e

A Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica é um documento eletrônico paralelo à NFe.

O documento é uma “atualização” do modelo 2, e  tem como destino da emissão o consumidor final.

Desta forma, não é necessário que o equipamento seja homologado pela Receita Federal, porém necessita de conexão com a internet.

A emissão do documento fiscal funciona de forma simples e visa facilitar por meio da tecnologia o processo fiscal.

SAT CFe

O Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico é um aparelho utilizado principalmente em São Paulo.

A homologação dos aparelhos é feita pela Secretaria da Fazenda e Planejamento – SEFAZ, de São Paulo.

Este sistema exige que a empresa tenha um aparelho reserva ativado e disponível.

A principal vantagem desse sistema é que ele funciona sem conexão com a internet e permite emissão ilimitada.

MFe

O Módulo Fiscal Eletrônico se assemelha ao SAT, mas foi criado pelo Estado do Ceará.

O objetivo do sistema é validar, transmitir informações e armazenar dados, tudo isso além de emitir os cupons fiscais.

O equipamento utiliza as seguintes especificações:

  • Tecnologia GPRS (chip);
  • Receptor GPS;
  • Conexão 3G;
  • Bateria;
  • Porta USB;
  • Sensor de queda.

Esperamos que nosso artigo tenha ajudado e tirado suas dúvidas. Até a próxima!

Baixe o Ebook " 5 Dicas para aumentar suas vendas"