Tipos de fluxo de caixa

Tipos de fluxo de caixa

Muitos gestores não sabem que existem vários tipos de fluxo de caixa. Neste artigo você vai entender um pouco sobre eles e suas funções.

A grosso modo, o fluxo de caixa nada mais é do que tudo que entra e sai do fundo do seu estabelecimento.

Agora você pode pensar “mas então eu faço isso, está tudo bem!”. Tenha calma, é preciso olhar com atenção as informações.

Tenha em mente que é necessário manter suas finanças organizadas para evitar decepções no fim do mês.

Seu negócio pode aparentar estar recebendo muito, mas pode estar gastando mais do que ganha. Se não colocadas em ordem, você corre o risco de falir.

Mas não se apavore, iremos mostrar os tipos de fluxo de caixa e você escolhe aquele que melhor se adapta às suas necessidades.

Tipos de fluxo de caixa

  • Fluxo de caixa operacional: serve para demonstrar os resultados e variações obtidos pela empresa em determinado período de tempo.
  • Fluxo de caixa direto: cataloga todos os valores que entraram e saíram, mas não realiza o desconto. Considera a forma bruta.
  • Fluxo de caixa indireto: analisa os Demonstrativos de Resultados do Exercício – DRE. Não se baseia exclusivamente os ganhos e perdas, já que considera as variações de mercado.
  • Fluxo de caixa livre: serve para mensurar a capacidade de crescimento do capital a curto, longo e médio prazo.
  • Fluxo de caixa descontado: é usado para avaliar o capital de uma empresa e geralmente é usado em processos de compra e venda de empresas.
  • Fluxo de caixa para investimentos: calcula uma linha segura que um estabelecimento ou empresa pode fazer sem que ponha em risco uma quantia muito significativa.
  • Fluxo de caixa projetado: nada mais é que uma tabela onde o administrador financeiro controla potenciais perdas e ganhos futuros.

Exemplo de fluxo de caixa

O fluxo de caixa pode parecer complicado demais, mas só até você entender o funcionamento e se habituar a atualizar diariamente sua tabela.

O período analisado pode variar, mas é bom frisar que quanto menor o intervalo, mais fácil de as informações serem precisas.

Dessa forma, iremos mostrar dois exemplos para que você consiga visualizar de forma mais clara o que falamos até aqui.

Você pode usar alguns dos exemplos abaixo:

Exemplo 1: Tabela de fluxo de caixa diário

Essa planilha é uma bem simples, sem nada descrito e deixa para o gestor o trabalho de personalizar.

Exemplo 2: Tabela de fluxo de caixa mensal

Esse exemplo é bem mais completo e de grande utilidade já que os itens citados são descritivos e isso ajuda quem está começando.

Agora que você já viu como funcionam as tabelas, seguiremos até o próximo passo para colocar as finanças do seu restaurante em dia.

Fluxo de caixa: Cálculo

É importante que o gestor tenha em mente que fazê-lo não é um trabalho esporádico.

Ele precisa ser mantido e atualizado constantemente para que realmente seja possível comparar mensalmente o desempenho do seu negócio.

Fazer o cálculo do fluxo de caixa é muito simples. Basta somar todos os seus ganhos e subtrair seus gastos.

Não esqueça de incluir os encargos, e as despesas fixas com pessoal e aluguel na parte de gastos ou pagamentos.

O que torna o processo trabalhoso é saber onde são seus gastos e não esquecer de colocar na tabela nenhum deles.

É interessante que você tenha também um “pé de meia” para eventuais emergências ou até para suprir necessidades.

Existem programas que criam gráficos para observar o crescimento ou queda de capital. Você só precisa dar as informações obtidas na sua planilha.

Como fazer o fluxo de caixa de um restaurante?  

Para fazer o cálculo do fluxo de caixa de um restaurante você precisará anotar todas as entradas de capital e também todas as saídas.

Contas de água, luz, salário dos funcionários, pagamento de fornecedores, tudo isso entra na sua planilha.

Assim como todos os seus ganhos do mês. É importante que tudo esteja organizado para evitar deslizes.

Você precisa calcular também o preço de custo de cada produto que seu restaurante oferece.

Dessa forma você saberá se não está cobrando pouco ou caro demais pelos seus pratos e lanches.

É importante que você não esqueça de calcular os impostos e também a mão de obra dos seus funcionários para produção.

Além disso, calcule também sua margem de lucro e aí coloque o preço. Depois disso coloque na sua planilha.

Agora que você já tem as informações que precisa para começar o seu plano de caixa, é arregaçar as mangas e trabalhar. Boa sorte!

Conheça o sistema ideal para o seu restaurante