QUERO FALAR COM CONSULTOR

Você sabe quais são tipos de fluxo de caixa?

Muitos gestores não sabem que existem vários tipos de fluxo de caixa. Neste artigo você vai entender um pouco sobre eles e suas funções.

A grosso modo, o fluxo de caixa é tudo que entra e sai do fundo do seu estabelecimento.

Agora você pode pensar “mas então eu faço isso, está tudo bem!”. Tenha calma, é preciso olhar com atenção as informações.

Tenha em mente que é necessário manter suas finanças organizadas para evitar decepções no fim do mês.

Seu negócio pode aparentar estar recebendo muito, mas pode estar gastando mais do que ganha. Se não colocadas em ordem, você corre o risco de falir.

Mas não se apavore, iremos mostrar os tipos de fluxo de caixa e você escolhe aquele que melhor se adapta às suas necessidades.

  • Fluxo de caixa operacional: serve para demonstrar os resultados e variações obtidos pela empresa em determinado período de tempo.
  • Fluxo de caixa direto: cataloga todos os valores que entraram e saíram, mas não realiza o desconto. Considera a forma bruta.
  • Fluxo de caixa indireto: analisa os Demonstrativos de Resultados do Exercício – DRE. Não se baseia exclusivamente os ganhos e perdas, já que considera as variações de mercado.
  • Fluxo de caixa livre: serve para mensurar a capacidade de crescimento do capital a curto, longo e médio prazo.
  • Fluxo de caixa descontado: é usado para avaliar o capital de uma empresa e geralmente é usado em processos de compra e venda de empresas.
  • Fluxo de caixa para investimentos: calcula uma linha segura que um estabelecimento ou empresa pode fazer sem que ponha em risco uma quantia muito significativa.
  • Fluxo de caixa projetado: nada mais é que uma tabela onde o administrador financeiro controla potenciais perdas e ganhos futuros.

Fluxo de caixa projetado: O que é?     

Fluxo de caixa projetado nada mais é que uma tabela onde o administrador financeiro controla potenciais perdas.

Então esse recurso ajuda a reduzir perdas de capital financeiro em situações de risco e prevenir gastos desnecessários.

Isso pode ser o diferencial entre seu negócio fechar o mês com as contas em dia e com uma boa margem de lucro.

Assim, o fluxo de caixa se mantém dentro do esperado, sem que aconteçam grandes alterações financeiras.

Contudo, é importante que o responsável pelas finanças da empresa seja uma pessoa organizada e que mantenha sempre a tabela atualizada.

Como fazer fluxo de caixa projetado?

Se o seu restaurante ainda não aderiu a este sistema, talvez possa parecer mais complicado começar do que de fato é.

Antes de mais nada, você precisa analisar os dados de recebimentos e de gastos dos meses anteriores.

Depois que isso for feito, você precisará estipular um período de tempo no qual você vai planejar o fluxo de caixa.

Posteriormente você vai começar a montar sua planilha. Nessa parte você precisará catalogar os gastos e os pagamentos.

Faça uma lista de ordem cronológica dos seus futuros débitos e da data que você terá que efetuar cada pagamento.

Depois faça uma uma tabela dos seus lucros. Se apresentarem muita variação, faça uma média entre os últimos meses e preocupe-se em não gastar mais do que receberá.

Com o intuito de não fechar o mês com déficit, tente reservar uma parte da soma total dos seus ganhos como reserva caso um imprevisto aconteça.

É importante que sua tabela esteja sempre atualizada e organizada para evitarque seus gastos fiquem mais altos que seus ganhos.

Os itens abaixo não podem faltar de maneira alguma na sua planilha:

  • Gastos com tributação e documentação;
  • Salário dos funcionários;
  • Aluguel (caso você atue em um local alugado);
  • Contas de luz, água, internet e telefone.

 

Fluxo de caixa indireto 

O fluxo de caixa indireto, também conhecido como método indireto, é usado para avaliar os impactos do caixa de algum tipo de negócio.

Ele é feito a partir do lucro líquido e por isso necessita de um ajuste nas variações que afetam o caixa.

Normalmente, a demonstração do fluxo de caixa modelo indireto é feito com base nas variações das contas do seu balanço.

Isso acaba evidenciando nas alterações no giro do seu negócio que pode, por sua vez, aumentar ou diminuir o seu caixa.

Fluxo de caixa diário 

O fluxo de caixa diário basicamente analisa o seu saldo disponível para que facilite tudo na hora de fazer o balanço geral.

Saber como fazer o fluxo de caixa de diário é mais é do que aprender a usar uma ferramenta. Sem este controle, você não vai sobreviver por muito tempo!

Antes de preocupar em montar uma planilha para organizar os processos, é importante entender como fazer o fluxo diário. Veja:

Separe as entradas e saídas em categorias

É preciso saber muito bem como fazer uma planilha de fluxo de caixa diário. Caso as informações sejam trocadas ou confundidas, seu resultado final não estará correto.

Por isso, uma das primeiras etapas é separar as entradas e as saídas. Elas não são da mesma natureza e, por isso, não podem ser ficar na mesma somatória.

Separe cada uma de acordo com a sua categoria!

Registre as entradas e saídas

Depois de classificar as entradas e saídas da sua planilha de fluxo de caixa diário, é hora de registrar estes dados.

O lançamento correto das entradas e saídas é um fator importante para montar a planilha e para as interpretações futuras.

Se algo estiver  errado ou não for registrado, as informações não ficarão corretas.

Fluxo de caixa mensal 

O fluxo de caixa mensal é um dos instrumentos da gestão financeira de um restaurante.

Ele é responsável por projetar todas as entradas e saídas do seu negócio.

Com isso, é possível saber como se encontra o saldo do caixa. O Fluxo de Caixa é uma uma estrutura bem flexível.

E para saber identificá-la basta criar uma planilha, no próprio excel, com algumas informações de entradas e saídas conforme as necessidades do restaurante.

Mas como fazer? 

Para saber como fazer o fluxo de caixa mensal, você vai precisar reunir algumas informações diariamente.

Isso irá garantir uma organização muito maior e um resultado mais preciso. Veja alguns passos para saber como fazer fluxo de caixa mensal.

Saídas

O primeiro a fazer é separar todas as saídas em: despesas, fornecedores e outras saídas.

Com isso anotado, anote os gastos específicos de cada uma das etapas. Veja:

  • Fornecedores: inclua tudo que foi gasto com os seus fornecedores;
  • Despesas: são os gastos administrativos, como conta de telefone, internet e etc.;
  • Outras despesas: pagamentos de tributos, investimentos e entre outros que não se encaixam nas alternativas anteriores.

Entradas

Especifique tudo que é recebido com as suas vendas ou prestação de serviços.

Mesmo que você esteja querendo saber como fazer o fluxo de caixa mensal, é bom fazer esta anotação diariamente.

Resultado do período

Para conferir o resultado de um certo período (dia, semana, mês ou o ano), é preciso fazer a soma de todas as entradas e diminuir as saídas.

É justamente por situações como esta que você deve anotar tudo que é feito no seu restaurante.

Organize as informações do seu fluxo de caixa e facilite os processos.

Fluxo de caixa operacional 

Você sabe se o fluxo de caixa operacional é uma boa para o seu restaurante? Assim como as outras variações já citadas, tudo vai depender da parte financeira do seu negócio. 

Isso porque o fluxo de caixa operacional é todo o resultado das entradas e saídas financeiras levando em consideração somente as movimentações necessárias para a operação. 

Ou seja, nesse cálculo, são excluídos qualquer os custos ou ganhos financeiros.  

A diferencial dele é a capacidade de contabilizar todas as operações da empresa, mesmo aquelas que não são diretamente ligadas.  

Dentro delas, podem ser incluídas: juros bancários, aquisições de imobilizados, rendimentos de aplicações, dentre outras.

Como calcular o fluxo de caixa operacional? 

O fluxo de caixa operacional é calculado sempre com base em uma equação: LAJIR (lucro antes de juros e impostos de renda) + Desvalorização – Impostos LAJIR.

Embora pareça complicada, está matemática é bem simples, tanto que o seu resultado atende pela mesma nomenclatura e pode ser encontrada no seu relatório anual. 

Para ficar mais fácil de entender, separamos um exemplo abaixo. Confira: 

Uma empresa gerou um LAJIR de R$ 40.000,00, apresentou uma desvalorização de R$ 4.000,00 e recolheu impostos no valor de R$ 12.000,00.

Então, na matemática teremos: 40.000 + 4.000 – 12.000 = 32.000

Ou seja, o fluxo de caixa operacional dessa organização fictícia para o dado ano, foi de R$ 32.000. 

Esse número é uma das medidas financeiras de calcular os lucros de uma empresa ou, até mesmo, restaurante. 

Todavia, é um dos jeitos mais sólidos e importantes, já que faz referência ao valor real das operações e é quase impossível de ser manipulado.

Baixe a Planilha de Fluxo de Caixa Mensal